Como vencer a amaxofobia, o medo de dirigir?

Você tem medo de dirigir? Pois saiba que isso é muito comum, cerca dois milhões de brasileiros tiram a carteira mas não conseguem dirigir em função do medo, ou ansiedade, que sentem ao volante.

Na verdade, esse medo tem nome, se chama amaxofobia, e provoca os mesmo sintomas que qualquer fobia, aumento da frequência cardíaca, pensamentos negativos, suor excessivo, isso tudo tanto ao entrar em um carro como só em pensar em dirigir.

Mas, será que o problema tem solução? Confira essa e outras dúvidas aqui abaixo.

Como vencer o medo de dirigir?

Se você quer saber como perder o medo de dirigir, primeiramente é preciso entender, que como qualquer outro tipo de medo, ele pode aparecer como resultado de traumas ou por motivos como insegurança, autocrítica exagerada, excesso de cobrança de outras pessoas, e etc.

Por isso, é preciso que cada caso seja analisado de forma particular, e embora nem sempre seja possível descobrir a real origem do medo, ainda assim é possível tratá-lo.

Porém, algumas dicas podem ajudar, e muito, a fazer com que vença esse medo. Confira as principais:

Procure não pensar muito

É preciso entender que o medo é um estado psíquico que surge quando pensamos de forma negativa, imaginando situações catastróficas que possam ocorrer. O fato é que quanto mais pensar no problema, no medo, mais ele cresce, tomando dimensões desproporcionais.

Por isso, a dica é enfrentar o medo e pegar na direção, começando aos poucos, até se familiarizar e o desconhecido perder seu tamanho.

Escolha as caronas

Algumas pessoas adoram desequilibrar quem está começando na direação. Por isso, é fundamental escolher muito bem suas caronas, evitando aquelas que só sabem criticar, debochar, aumentando sua insegurança. Prefira as mais calmas e centradas, experientes, que possam passar truques e dicas.

Crie um passo a passo

Até se familiarizar totalmente, criar segurança ao dirigir, a dica é procurar criar uma espécie de passo a passo, definindo o que fará  a cada treino, tirando um dia para conhecer todos os botões e comandos, pegar intimidade com o veículo, no outro, treinar baliza, sair e entrar na garagem, dar volta na quadra, dirigir de noite, e por aí vai…

Não seja tão crítico com você

Acredite, a única diferença entre você e alguém que dirige bem, é apenas a prática. Ninguém nasce sabendo dirigir. Por isso, acredite em você mesmo, se errar, tente novamente, e mais uma vez se for preciso. Treine, treine e, se precisar, treine mais.

Ajuda profissional

Não dá para subestimar uma fobia. Infelizmente, muitas vezes não se trata apenas de uma simples insegurança, ou um medo normal. As vezes, o caso é mais sério, tendo origem em traumas vividos, de alguma forma, direta ou indiretamente, que acabaram por marcar a pessoa e, nem sempre, com a devida identificação, nem mesmo ela sabe de onde vem o medo. Então, nesses casos, as dicas acima podem não ter muito efeito, sendo o mais indicado a pessoa procurar ajuda profissional, de um psicólogo capacitado que, com certeza, saberá lhe ajudar a vencer o medo.

Anticoncepcional e varizes

Para quem não sabe, as varizes são vasos que se dilatam e se deformam por causa de problemas na circulação sanguínea. No entanto, muita gente se pergunta se existe alguma relação entre o uso de anticoncepcional e varizes.

De uma forma geral, o problema acontece especialmente nas pernas por causa do maior esforço dos vasos para enviar o sangue de volta ao coração.

Embora não seja um problema grave por si só, as varizes podem trazer uma série de consequências bastante desagradáveis para quem as desenvolve, tais como sensação de ardor, queimação, dor e inchaço no local, varizero ajuda a diminuir estes sintomas em mais de 85%, felizmente 🙂

Por isso, para que seja possível evitar as varizes e cuidar bem do problema, nada melhor do que entender quais são os fatores de risco e o que favorece o surgimento das mesmas.

Anticoncepcional e varizes: qual a relação?

De uma forma geral, não se pode dizer que o uso de anticoncepcionais causa varizes. No entanto, é sabido que muitas pílulas possuem estrógenos na sua fórmula.

O uso de estrógenos, por sua vez, é considerado um fator de risco para o surgimento de doenças vasculares. Especialmente as varizes nos membros inferiores e também a trombose venosa profunda.

O que acontece é que esses hormônios mudam a permeabilidade vascular e também a viscosidade do sangue. A consequência é que acabam facilitando ou favorecendo os problemas relacionados a coagulação, além de favorecer a vasodilatação.

É por isso que pode-se dizer que o uso de pílulas anticoncepcionais pode sim favorecer o surgimento de varizes.

Outros fatores de risco para varizes

No entanto, não é apenas as pílulas contraceptivas que favorecem o surgimento das varizes, lembrando que existem também outros fatores de risco que podem estar associados.

Então, vamos conhecer quais são eles:

  • Ser do sexo feminino
  • Idade
  • Gestação
  • Sobrepeso ou obesidade
  • Histórico familiar de varizes
  • Passar muitas horas do dia de pé
  • Fístulas arteriovenosas
  • História passada de trombose venosa profunda

O mais importante de tudo é lembrar que ter uma boa saúde é sempre o melhor caminho para esses problemas. Dessa forma, fazer atividade física é essencial pois ajuda a melhorar a circulação.

Se alimentar bem também é outro fator importante, pois beneficia o funcionamento do organismo como um todo.

Se engravidar, é importante também cuidar para não ganhar peso e excesso, bem como manter-se dentro do peso indicado quando não estiver gestando.

Seguindo esses passos, fica mais fácil cuidar ou evitar as varizes!

Como investir em ouro

Quando os tempos econômicos ficam difíceis ou o mercado de ações parece instável , os investidores geralmente recorrem ao ouro como um porto seguro. Por exemplo, o interesse pelo ouro aumentou no início de 2020 durante a crise do coronavírus e a recessão que se seguiu, enquanto os investidores procuravam um ativo seguro para estacionar seu dinheiro.

como investir em ouro e prata saiba aqui

Poupadores e investidores gostam de ouro por muitas razões, e possui atributos que tornam a mercadoria um bom contraponto aos títulos tradicionais, como ações e títulos. Eles percebem o ouro como uma reserva de valor, mesmo que seja um ativo que não produz fluxo de caixa. Alguns vêem o ouro como um hedge contra a inflação, pois temem que as ações do Fed para estimular a economia – como taxas de juros próximas a zero – e os gastos do governo possam fazer a inflação subir mais.

Por que investidores gostam de ouro

“O ouro tem um histórico comprovado de retornos, liquidez e baixas correlações, tornando-o um diversificador altamente eficaz”, diz Juan Carlos Artigas, diretor de pesquisa de investimentos do World Gold Council.

Essas qualidades são especialmente importantes para os investidores:

  • Retorno: O ouro superou as ações e os títulos em determinados trechos, embora nem sempre os derrote.
    Liquidez: se você estiver comprando certos tipos de ativos baseados em ouro, poderá convertê-los rapidamente em dinheiro.
    Baixas correlações: o ouro costuma ter um desempenho diferente das ações e títulos, ou seja, quando eles sobem, o ouro pode cair ou vice-versa.
    Além disso, o ouro também oferece outras vantagens potenciais:
  • Diversificação: como o ouro não está altamente correlacionado com outros ativos, ele pode ajudar a diversificar as carteiras, tornando-as menos arriscadas.
    Reserva defensiva de valor: os investidores costumam recuar para o ouro quando percebem ameaças à economia, tornando-o um investimento defensivo. Uma dica muito interessante é acompanhar o curso lucrando com ouro e prata que tem ajudado muitas pessoas a desvendarem esse mistério.
    Esses são alguns dos principais benefícios do ouro, mas o investimento – como todos os investimentos – não é isento de riscos e desvantagens.

Embora o ouro tenha um bom desempenho às vezes, nem sempre é claro quando comprá-lo. Como o ouro por si só não produz fluxo de caixa, é difícil determinar quando é barato. Esse não é o caso das ações, onde há sinais mais claros com base nos ganhos da empresa.

Além disso, como o ouro não produz fluxo de caixa, para obter lucro com o ouro, os investidores precisam confiar em alguém que paga mais pelo metal do que pagou. Por outro lado, os proprietários de uma empresa – como uma mineradora de ouro – podem lucrar não apenas com o aumento do preço do ouro, mas também com o aumento da receita dos negócios. Portanto, existem várias maneiras de investir e ganhar com ouro.

5 maneiras de comprar e vender ouro

Aqui estão cinco maneiras diferentes de possuir ouro e uma olhada em alguns dos riscos que surgem com cada um.

1. Barras de ouro
Uma das maneiras mais emocionalmente satisfatórias de possuir ouro é comprá-lo em barras ou em moedas. Você terá a satisfação de vê-lo e tocá-lo, mas a propriedade também possui sérias desvantagens, se você possui mais do que um pouco. Uma das maiores desvantagens é provavelmente a necessidade de proteger o ouro físico e segurá-lo.

Para obter lucro, os proprietários de ouro físico dependem totalmente do aumento do preço da commodity, em contraste com os proprietários de uma empresa, onde a empresa pode produzir mais ouro e, portanto, mais lucro, aumentando o investimento.

Você pode comprar barras de ouro de várias maneiras: através de um revendedor on-line, como APMEX ou JM Bullion, ou mesmo de um revendedor ou colecionador local. Uma loja de penhores também pode vender ouro. Observe o preço à vista do ouro enquanto compra, para que você possa fazer um acordo justo. Você pode fazer transações em barras, em vez de moedas, porque provavelmente pagará um preço pelo valor do coletor de uma moeda, e não pelo seu conteúdo em ouro.

Riscos: O maior risco é que alguém possa fisicamente tirar o ouro de você, se você não mantiver suas propriedades protegidas. O segundo maior risco ocorre se você precisar vender seu ouro. Pode ser difícil receber o valor total de mercado de suas participações, especialmente se forem moedas e você precisar do dinheiro rapidamente. Portanto, você pode ter que se contentar em vender suas participações por muito menos do que elas poderiam comandar em um mercado nacional.

2. Futuros de ouro
Os futuros de ouro são uma boa maneira de especular sobre o preço do ouro subindo (ou caindo), e você pode até receber entrega física de ouro, se quiser, embora não seja isso que motive os especuladores.

A maior vantagem do uso de futuros para investir em ouro é a imensa quantidade de alavancagem que você pode usar. Em outras palavras, você pode possuir muitos futuros de ouro por uma quantia relativamente pequena de dinheiro. Se os futuros de ouro se moverem na direção que você pensa, você poderá ganhar muito dinheiro rapidamente.

Riscos: a alavancagem para futuros investidores diminui nos dois sentidos. Se o ouro se mover contra você, você será obrigado a colocar quantias substanciais em dinheiro para manter o contrato ou, caso contrário, o corretor fechará a posição. Portanto, embora o mercado futuro permita que você ganhe muito dinheiro, você pode perdê-lo com a mesma rapidez.

Em geral, o mercado futuro é para investidores sofisticados, e você precisará de um corretor que permita a negociação de futuros, e nem todos os principais corretores prestam esse serviço.

3. ETFs que possuem ouro
Se você não quer o incômodo de possuir ouro físico, uma ótima alternativa é comprar um ETF que rastreie a mercadoria . Três dos maiores ETFs incluem o SPDR Gold Trust, o iShares Gold Trust e o ETF Aberdeen Standard Physical Swiss Gold Shares. Os objetivos dos ETFs como esses são coincidir com o desempenho do ouro menos a taxa de despesa anual. Os índices de despesas dos fundos acima são de apenas 0,4%, 0,25% e 0,17%, respectivamente, a partir de maio de 2020.

O outro grande benefício de possuir um ETF sobre metais preciosos é que ele é mais facilmente trocável por dinheiro pelo preço de mercado. Você pode negociar o fundo em qualquer dia em que o mercado estiver aberto pelo preço atual. Portanto, os ETFs de ouro são mais líquidos que o ouro físico e você pode trocá-los no conforto da sua casa.

Riscos: os ETFs dão exposição ao preço do ouro; portanto, se ele subir ou cair, o fundo deverá ter o mesmo desempenho, novamente menos o custo do próprio fundo. Como as ações, o ouro também pode ser volátil às vezes. Embora esses ETFs possuam ouro físico, eles permitem que você evite o maior risco de possuir a mercadoria física: a falta de liquidez e a dificuldade de obter o valor total de suas participações.

4. Estoques de mineração
Outra maneira de aproveitar o aumento dos preços do ouro é possuir os mineiros que produzem o material.

De certa forma, essa pode ser a melhor alternativa para os investidores, porque eles podem lucrar em mais de uma maneira com ouro. Primeiro, se o ouro subir, os lucros do mineiro também aumentarão. Segundo, o mineiro tem a capacidade de aumentar a produção ao longo do tempo, dando um efeito duplo de golpe. Então, você tem duas maneiras de ganhar, e isso é melhor do que depender apenas do aumento do preço do ouro para impulsionar seu investimento.

Riscos: se você estiver investindo em ações individuais, precisará entender os negócios com cuidado. Existem vários mineiros extremamente arriscados por aí, então você deve ter cuidado ao selecionar um player comprovado no setor. Provavelmente é melhor evitar pequenos mineradores e aqueles que ainda não possuem uma mina produtora. Finalmente, como todas as ações, as ações de mineração podem ter preços voláteis.

5. ETFs que possuem estoques de mineração
Não quer cavar muito em empresas individuais de ouro? Então, comprar um ETF pode fazer muito sentido. Os ETFs de garimpeiros darão a você exposição aos maiores garimpeiros do mercado. Como esses fundos são diversificados em todo esse setor, você não se machucará muito com o baixo desempenho de um único minerador.

Os fundos maiores nesse setor incluem o ETF VanEck Vectors Gold Miners, o ET VanEck Vectors Junior Gold Miners e o ETF iShares MSCI Global Gold Miners. Os índices de despesa nesses fundos são de 0,52%, 0,53% e 0,39%, respectivamente, a partir de maio de 2020. Esses fundos oferecem as vantagens de possuir mineradores individuais com a segurança da diversificação.

Riscos: embora o ETF diversificado o proteja contra qualquer empresa que esteja se saindo mal, não o protegerá contra algo que afeta todo o setor, como preços baixos sustentados do ouro. E tenha cuidado ao selecionar seu fundo: nem todos os fundos são criados iguais. Alguns fundos estabeleceram mineradores, enquanto outros têm mineradores juniores, que são mais arriscados.

DICA FINAL

Investir em ouro não é para todos, e alguns investidores continuam apostando em negócios que geram dinheiro, em vez de depender de outra pessoa para pagar mais pelo metal brilhante. Essa é uma das razões pelas quais investidores lendários, como Warren Buffett, alertam contra o investimento em ouro e, em vez disso, defendem a compra de empresas que geram dinheiro . Além disso, é simples possuir ações ou fundos, e eles são altamente líquidos, para que você possa converter rapidamente sua posição em dinheiro, se necessário.

Como jogar Criquete

O críquete é um jogo que requer agilidade física para rebater, rebater e arremessar. Duas equipes de 11 jogadores jogam ao mesmo tempo. Um saiba como jogar cricketconjunto de regras foi projetado para o jogo pela ICC. Estes são os mesmos para homens e mulheres jogadores. O jogo começa com os capitães de ambas as equipes e o encontro de árbitros para o sorteio. O capitão vencedor do sorteio pode eleger primeiro o bastão / campo. Esse processo é o mesmo em todos os formatos. No entanto, o código de vestimenta e as restrições de campo variam de acordo com o formato. É obrigatório que os jogadores usem todo branco para uma partida de teste e camisetas e calças coloridas para ODI e T20.

Os árbitros têm um papel fundamental no jogo enquanto monitoram os procedimentos. Eles decidem se o batedor está fora, decidem no-ball, wide e garantem que os dois times estejam jogando de acordo com as regras.

Nesta seção, entenderemos poucas leis do jogo e como uma partida de críquete é jogada. O jogo de críquete começa com o sinal do árbitro em campo “Vamos jogar!”

Vamos jogar! Um vislumbre do jogo

Dois batedores do lado de batedura e 11 jogadores do lado de campo tomam posições. Dois árbitros também se juntam a eles no campo. Um fica no campo e o outro no lado da perna.

Suponha que A e B sejam duas equipes jogando uma partida limitada de críquete. O capitão de A vence o sorteio e escolhe bater primeiro.

O jogo começa com um jogador de boliche da equipe B até o primeiro batedor da equipe A. Eles são geralmente chamados de abertura bowler e abertura batedor . Os dois primeiros batedores são chamados de abridores quando começam as entradas de seu time.

Os batedores acertam as bolas lançadas contra eles e marcam corridas. Fielders tentam parar as bolas que foram atingidas e até pegá-las para tirar os batedores.

Cada jogador realiza 6 entregas legais para encerrar.

As extremidades do boliche e da batedura mudam após cada término. O não atacante no final de cada over torna-se o atacante do próximo over.

O detentor do wicket deve mudar de ponta após a conclusão de cada repetição. Em geral, o goleiro fica longe de tocos quando um jogador rápido está jogando boliche e mais próximo dos tocos quando um girador está em ação.

Uma vez que um batedor está fora, ele tem que sair do campo e um novo batedor chega ao vinco. Uma entrada é considerada completa se todos os batedores do time A estiverem fora ou o time B tiver aumentado sua cota total de overs.

Agora, o time B começa a rebater nas segundas entradas para perseguir o objetivo estabelecido pelo time A.

O time B é concedido como vencedor se atingir o alvo, A é vitorioso.

Se a pontuação estiver nivelada no final da partida, isso será chamado de empate.

Pontuação

A pontuação manual e eletrônica é feita durante a partida para evitar erros.

A pontuação é feita de forma cumulativa. Todas as corridas marcadas com taco, corridas extras como no-ball, wide, etc. são adicionadas ao total da equipe.

Em alguns casos, os árbitros em campo acham difícil tomar poucas decisões como limites, fora, sem bola, etc. Portanto, eles procuram ajuda de outro árbitro, chamado terceiro árbitro.

O terceiro árbitro analisa o vídeo e dá uma decisão final.

A partida acontece em um campo oval de críquete, que consiste em um campo retangular no centro. Um limite marca o perímetro do campo e pode assumir a forma de uma cerca, cordas ou linhas. Além disso, um alvo de madeira conhecido como wicket é colocado nas duas extremidades do campo retangular, a aproximadamente 20 metros de distância. O postigo é feito de três tocos, apoiando dois fardos que ficam sobre os tocos.

As linhas também marcam o campo, com uma linha chamada de vinco de boliche alinhada ao wicket. Outra linha, conhecida como vinco de estalo ou rebatida, está localizada a cerca de 1,2 metro em frente ao wicket. Esses vincos determinam a área em que o jogador e a massa podem operar.

Enquanto o jogo está em andamento, todos os 11 membros da equipe de campo precisam estar em campo, mas apenas dois membros da equipe de rebatidas podem estar no campo de jogo. Um jogador é selecionado da equipe de campo e ele é conhecido como jogador de boliche, enquanto o restante dos 10 jogadores é conhecido como jogador de campo. O jogador tentará acertar o wicket com a bola, enquanto um dos jogadores de campo – especificamente conhecido como guardião do wicket – se agacha atrás do wicket para pegar a bola se ela errar.

O batedor da equipe de oposição tentará acertar a bola de boliche antes que ela atinja o wicket. O restante dos jogadores de campo deve perseguir a bola assim que o batedor a acertar. O papel do batedor é impedir que o wicket seja atingido pela bola, rebatendo a bola. Além disso, para marcar uma corrida, ambos os batedores precisam correr de seus respectivos postigos para o outro o maior número de vezes possível após a bola ser atingida.